Coronavírus – estamos preparados para uma pandemia?

Recentemente um caso de vírus que manifesta sintomas principalmente no sistema respiratório  tem percorrido as mídias e redes sociais. Muito tem se especulado, então fomos atrás de fontes seguras e levantamos o questionamento: estamos preparados?

Diferente de outras ocorrências de pandemias (quando uma epidemia se alastra para diversos países diferentes) que atingiram o Brasil em sua história recente, desta vez temos indícios de gestão eficiente nas diversas etapas que dizem respeito a um controle de um contágio tão importante.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, como febre, tosse e dificuldade para respirar.

Detecção, resposta e precauções frente à suspeita de um caso do novo coronavírus (2019-nCoV) segundo o Ministério da Saúde

Suspeita

O Ministério da Saúde, através de boletim epidemiológico, descarta a suspeita de contágio a menos que o indivíduo tenha feito viagem a uma região específica da China ou tenha tido contato com alguém que esteve por lá. Existem especulações sobre casos no Brasil, mas não trata-se de fato, sem nenhum registro de casos até o momento da redação deste artigo.

Histórico

Em 31 de dezembro de 2019, o Escritório da OMS na China foi informado sobre casos de pneumonia de etiologia desconhecida (causa desconhecida) detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China.

De 31 de dezembro de 2019 a 3 de janeiro de 2020, um total de 44 pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida foram notificados à OMS pelas autoridades nacionais da China. Durante esse período relatado, o agente causal não foi identificado.

As autoridades chinesas identificaram um novo tipo de coronavírus, que foi isolado em 7 de janeiro de 2020.

Em 11 e 12 de janeiro de 2020, a OMS recebeu mais informações detalhadas, da Comissão Nacional de Saúde da China, de que o surto estava associado a exposições em um mercado de frutos do mar, na cidade de Wuhan.

Em 12 de janeiro de 2020, a China compartilhou a sequência genética do novo coronavírus para os países usarem no desenvolvimento de kits de diagnóstico específicos.

Em 13 de janeiro de 2020, o Ministério da Saúde Pública da Tailândia relatou o primeiro caso importado de novo coronavírus, confirmado em laboratório (2019-nCoV) de Wuhan, província de Hubei, China.

Em 15 de janeiro de 2020, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão (MHLW) relatou um caso importado de novo coronavírus 2019, confirmado em laboratório (2019-nCoV) de Wuhan, província de Hubei, China.

Em 20 de janeiro de 2020, o Ponto Focal Nacional do Regulamento Sanitário Internacional (PFN-RSI) da República da Coréia relatou o primeiro caso de novo coronavírus na República da Coréia.

Ações no Brasil

O Ministério de Saúde desde o dia 3 janeiro vem monitorando o evento em comunicação contínua com os estados e informa que casos suspeitos de outras síndromes respiratórios foram notificados a rede CIEVS e foram descartados para 2019-nCoV. Sendo assim, foi emitido boletim esclarecendo os critérios de definição de casos suspeitos, prováveis, confirmados e descartados, fluxo de notificação, procedimentos para diagnóstico laboratorial, orientações aos profissionais de saúde; cuidados a pacientes e contactantes e orientações a portos, aeroportos e fronteiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui