Nos filmes ,o líder eróicamente corre para o inimigo de espada em punho desviando dos tiros de artilharia gritando comandos para a tropa.

Como na vida real, certo?

É… não!

Atuação à parte, para um líder ter sucesso em um gerenciamento de crise, ele precisa ter diferentes habilidades em diferentes etapas do processo.

Vamos entender os diferentes tipos de liderança durante uma crise e compreender qual destes tipos você domina e qual precisa de uma força para implementar.

“As perguntas que fazemos a nós mesmos determinam o tipo de pessoa que nos tornamos.” Leo Babauta

Etiquetas são boas para você conhecer o conteúdo do frasco e evitar acidentes como jogar açúcar na batata frita, não concorda? No entanto, não funcionam com pessoas.

Etiquetas em pessoas são restritivas, inconclusivas e as vezes totalmente distópicas.

No entanto, existem algumas exceções úteis. Para solidificar a nossa capacidade de liderança, avaliar as características e tendências do comportamento associado a um determinado tipo de liderança e guiar-nos a uma melhor interação com eles.

Por exemplo, se você sabe que um líder a quem você está se reportando é “o cara” no aspecto de comando e controle de incidentes, então sua estratégia em lidar com ele deve ser diferente do que se ele fosse mais de um líder “tanto faz”.

Vamos abrir então em alguns tipos de liderança com base em suas características. Lembrando que muitos líderes irão encarnar mais do que um estilo. Eles vão entrar no estilo que funciona para eles, dependendo da situação em mãos, são versáteis.

Portanto, eu encorajo você a estudar todos e considerar tomar a melhor parte de cada um para adicionar a sua crescente bagagem de liderança em situações de crise.

1. Líder Servidor

A liderança dos empregados é muito popular nos dias de hoje (sim, pois é. Não vou comentar). Um chefe de bombeiros recentemente promovido orgulhosamente disse a um amigo que ele era agora um líder servo, e que em cenas de fogo ele agora fica “na retaguarda com o equipamento” no caso de haver uma necessidade de ele ser um servo para seus capitães lutando contra o fogo “na frente.”

Da mesma forma, quando Jimmy Carter foi eleito Presidente dos Estados Unidos em 1976, ele se viu como um líder servo antes do termo se tornar popular. Ele chegou ao ponto de insistir em levar a sua bagagem para a Casa Branca no dia da mudança, em plena vista do da imprensa que amplamente transmitiu e relatou o ato “altruísta” de servidão do novo presidente.

Bem, isso não saiu exatamente como o esperado. Levou muito tempo para o presidente Carter ganhar o respeito de muitos políticos americanos e no exterior. Muitos acreditam que é porque ele escolheu se concentrar mais em ser um servo em vez de ser um líder orientado para o serviço. Há uma distinção e muitas vezes faz a diferença entre ser eficaz ou ineficaz como líder.

Particularmente, não sou fã dessa inversão. Boa liderança não é sobre servidão; é sobre serviço.

Exemplo:

Durante a resposta ao furacão Katrina em Nova Orleans, os líderes de resposta enfrentaram uma tarefa assustadora: conduzir os bombeiros para dentro e em segurança sob uma condição horrível, ao mesmo tempo que ajudavam o maior número possível de pessoas. Eles eram inabaláveis no seu foco, implacáveis nas suas expectativas e apoiavam os esforços de cada operador. Um desses líderes, endurecidos e firmes, começou a cada dia oferecendo aos bombeiros uma xícara de café quente, um sorriso e uma palavra encorajadora na barraca da equipe todas as manhãs. Ele não tinha que servir café com um sorriso, mas seu serviço ajudou a equipe a manter a cabeça sobre as tarefas que estavam por vir.

As suas ações fornecem um exemplo simples mas eficaz de liderança orientada para o serviço.

2. Chefe de comando e controle

Você provavelmente também já ouviu que esse tipo de líder é um líder autocrático, coercivo ou autoritário.

A imagem que as pessoas evocam de um líder de comando e controle é um oficial uniformizado batendo o punho na mesa e gritando direções aos seus subordinados enquanto eles se amontoam de medo.

Embora isso possa ser verdade, também há muitas vezes em que precisamos de alguém com autoridade absoluta e a presença para comandar e controlar um ambiente.

Exemplo:

Se o navio está afundando, o capitão que salvará mais vidas é aquele que agir como um cão de guarda latindo instruções de evacuação para a tripulação.

No entanto, esse mesmo estilo de liderança não é um bom ajuste quando o capitão está treinando a equipe de futebol infantil de seu filho no fim de semana.

Portanto, um pouco de comando e controle vai bem.

Nota: os gestores de incidentes modernos modificam frequentemente esta etiqueta de liderança de “comando e controle” para “comando e gestão.”

3. Líder Democrático

Os líderes democráticos tendem a dar a todos uma voz para compartilhar a sua opinião. Esta abordagem all-hands pode fazer maravilhas para engajamento e participação, uma vez que mais pessoas sentem que têm algo a dizer sobre o que acontece, contribuindo assim com uma visão multidisciplinar do todo.

A desvantagem é que as decisões de grupo podem tomar uma grande quantidade de tempo antes de tomar uma decisão.

4. Líder Carismático

O líder carismático aumenta a moral e muitas vezes é a líder de torcida número um de sua organização.

Este estilo é ideal quando um rosto feliz é necessário para representar a organização, como o fundador do Grupo Virgin, Richard Branson.

Líderes carismáticos são vistos no palco liderando o pep rally e inspirando novas iniciativas. A sua queda é quando, particularmente durante uma crise, tentam ser sérios, o que pode parecer forçado e falta de autenticidade.

5. Líder Tanto Faz

Este líder gosta de dizer “vai funcionar” sem ter um plano para que funcione. É claro que, quando dá certo, é porque alguém não foi decididamente “tanto faz” sobre isso e cuidou da coisa toda.

Agir sem intervenção pode ser útil para um líder, mas estar ausente com frequência não é liderança, normalmente chamamos de férias.

A boa notícia é que por trás dos comportamentos que definem os diferentes tipos de liderança, eles são todos apenas rótulos. E os rótulos não definem quão eficazes somos como líderes de resposta.

Na verdade, os líderes mais bem sucedidos tendem a incorporar vários estilos de liderança e confiar no estilo mais apropriado baseado na situação em mãos.

Exemplo:

Um exemplo é o conhecido líder militar norte americano James Mattis.
Ele demonstrou proficiência em muitos dos diferentes tipos de liderança, mas apenas um de cada vez, dependendo da situação.
Nas suas próprias palavras:
“A América tem dois poderes fundamentais. Um é o poder da intimidação. Eu fiz parte disso e a América defende essa ideia, é esta experiência que chamamos América. E isso é tudo, é uma experiência em democracia. Mas o outro poder que penso que talvez tenhamos usado menos nos últimos anos, talvez nos últimos 20 anos, é o poder da inspiração. E eu acho que o poder de inspiração da América às vezes tem que ser empregado mais fortemente.” General Da Marinha Aposentado James Mattis

Transformational Leader

7. Líder de Transação

Os líderes de resposta estão sempre de olho no prêmio. E com o prêmio, refiro-me ao resultado do cumprimento das prioridades e objetivos da missão.

Exemplo:

Digamos que o objetivo é ir a uma sorveteria comprar sorvete.

Mesmo diante de fechamentos de estradas, crianças gritando e um início iminente do jogo do seu time favorito, o líder de resposta sempre tem uma imagem mental de como será degustar um sorvete delicioso.

É preciso prática para refinar as imagens mentais, mas quando o que imaginamos se torna real, vale a pena.

Ao compartilhar essas imagens e trazer a missão à vida para os outros, um líder de resposta a crises pode se tornar transformacional.

Líder Transformacional:

“Ajudar as pessoas a transformarem-se da sua condição atual para uma condição melhor.”

É comum ouvir o termo treinador, ou “coach” relacionado a este estilo de liderança.

“Se você quer construir um navio, não reúna pessoas para coletar madeira e não lhes atribua tarefas e trabalho, mas sim ensine-os a ansiar pela imensidão infinita do mar.” Antoine de Saint-Exupéry

Transformar pode levar a um estado ideal, mas há um gêmeo oposto ao líder transformacional chamado líder transacional.

Líder Transacional:

“Liderar alguém com base em tarefas específicas a curto prazo.”

Exemplo:

Em vez de ajudá-los a visualizar o sabor fresco do sorvete, apesar de qualquer obstáculo, os líderes transacionais se concentram em administrar a tarefa de conduzir no trânsito, de chegar em casa antes do jogo começar, de suprimir as explosões do menino ansioso pelo sorvete.

Os líderes transacionais se concentram no que é medido, ou seja, tempo no trânsito, silêncio contra crianças ruidosas, etc. Os líderes transformacionais se concentram na condição futura, ou seja, crescimento, estratégia e visão.

Talvez as definições sejam úteis, mas dificilmente importam.

O que é importante é que o líder da resposta à crise entenda os resultados que eles devem esperar quando eles são transacionais versus quando eles são transformacionais.

Aqui está outro exemplo mais saliente do líder de resposta à crise que está se aproximando de seu trabalho como uma série de transações e o resultado real que eles criam:

Grandes e crescentes organizações precisam de gestão, mas não de micro-gestão.A visão a curto prazo também pode ajudar a sustentar a visão a longo prazo.A produtividade que é medida também pode ser a produtividade que é financiada.

Então, que tipo de líder é você?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui